sábado, 24 de setembro de 2016

Beijar na boca é coisa do passado?


    Olá meus amores! Tudo certo com vocês? Hoje é sábado, dia em que muitos vão sair, namorar, farrear, e enfim, tudo de bom para um final de semana. Mas hoje em dia se tornou fato que as pessoas não querem mais só "beijar". Fiz uma alusão àquela música antiga, mas sim, hoje vou falar de um assunto que é um tabu entre muitas pessoas, principalmente nós jovens.


    Antigamente, no início da minha adolescência o que mais nos marcava era o primeiro beijo. Todos queriam saber como era, como iriam se sair, e até mesmo escolher quem seria a pessoa tão especial a dar esse passo tão importante. E por muuuito tempo foi assim. Eram tempos em que nem se pensavam em sexo, era algo muito longe e fora da realidade. Sim, eu pesquisava sobre beijos, como beijar, etc.. A gente acaba descobrindo que nem sempre é bom (no meu caso, isoladamente, foi, mas isso não vem ao caso).


    O fato é que hoje em dia, o primeiro beijo nem é mais aquela coisa especial. E não digo apenas o primeiro beijo da vida toda, mas o primeiro beijo de um casal, o primeiro beijo depois do casamento, o primeiro beijo do dia. Hoje a pergunta mais frequente é com quantas pessoas o outro já transou, com quantos anos perdeu a virgindade, e não mais aquela coisa meiga do primeiro beijo, aquele medo constante passou. Sei lá, as vezes isso me remete ao que as pessoas mais antigas dizem ser a "Era Digital": o mundo cada vez mas precoce, e consequentemente, nós também.

    Para terminar, só queria deixar claro que parar mim, beijar na boca não é coisa do passado. E eu descobri isso outro dia. Dou muito mais valor a um beijo do que qualquer ato sexual, porque hoje em dia o beijo se tornou algo que o sexo era antigamente: Algo raro e valioso.


quinta-feira, 22 de setembro de 2016

Youtube: É tudo uma mentira?


  Olá meus amores bem vindos a mais um post aqui do blog, e hoje eu vim falar sobre uma discussão assídua de quem não conhece a vida de vários youtubers: É TUDO MENTIRA?
    Lidar com críticas na nossa situação começa a ser normal a partir do momento em que expomos nossa vida para todo mundo. E eu falo por nós, porque apesar de ter um canal pequeno, também sou alvo de piadas e muitas, mas muitas críticas. Que a vida que tentamos apresentar no Youtube é perfeita, que tudo o que somos por lá e pela rede social é uma farsa. Mas, espera aí?... De onde foi que saiu isso?


    Vários sociólogos acreditam numa teoria que na maioria das vezes é fato: Tentamos parecer o mais bonitos e "perfeitos" de certo moda nas redes sociais, porque são nosso cartão de visita, e ninguém assiste um trabalho feio né? Muito bem, mas várias daquelas coisas não são mentiras, nada é. A vida de um Youtuber é tão corrida quanto de qualquer profissional, e na minha opinião as pessoas atualmente ainda não estão acostumadas a tal responsabilidade tomada por pessoas tão jovens. Pensem comigo: Muita gente ainda é da época que faculdade seria a única opção para se dar bem na vida, e de fato, eu penso um pouco assim. Mas não seja por isso, vários youtubers são formados em faculdades MUITO boas, mas ninguém reconhece isso. E o preconceito pela profissão como fica?


    Eu acabo me perguntando: Se eu passar em medicina, vou largar o canal? E não, eu não preciso fazer isso. Conciliar as duas coisas vai acabar sendo uma escolha que vou ter que fazer, mas não significa que eu tenha que desistir de outra. Em um mundo onde tentamos tanto lutar contra o preconceito, acabamos por fazê-lo mais ainda com esses pensamentos. Então, para quem ainda fala, é fato: Hoje em dia ser Youtuber se tornou um trabalho, a partir do momento no qual as pessoas começaram a ganhar a vida com ele.

    E para quem ainda diz que não, é porque não busca o conteúdo, porque não tentamos passar uma vida perfeita, e sim um ideal que todos nós queríamos viver.