quinta-feira, 10 de setembro de 2015

Filme em cartaz: O agente da U.N.C.L.E.

 
   Olá, queridos leitores. Nesta quinta-feira trouxe um post digno de cartazes de cinema... Digno mesmo! No último sábado fui ao shopping, e eu e meu namorado resolvemos assistir um filme. Não tinha nada que gostaríamos de ver mesmo, então optamos pelo melhor cartaz/ o que chamou mais atenção, e entramos na sala. O que eu vi fui surpreendente, e vou mostrar toda a maravilha desse filme para vocês agora!
 
 

   Então galera, esse filme foi lançado agora em 2015, mais precisamente no dia 3 de setembro. Até então eu nunca tinha ouvido falar, e o que me chamou mais atenção foi o banner/cartaz do cinema. Daqui a pouquinho vou mostrá-lo para vocês, mas, primeiro, vamos à história!

   Recheado de ação, o filme se passa em 1960, quando Estados Unidos e Rússia eram inimigos mortais. Nesses dois lados da história, estão Napoleon Solo (agente da CIA, de posse dos EUA) e Illya Kuriakin (espião da KGB, de posse da Rússia), que no início do filme são inimigos, havendo até perseguição entre eles. 


   Só que eles descobrem que precisarão trabalhar juntos para combater uma organização que desenvolve armas nucleares, chamada T.H.R.U.S.H. E é nessa parte da história que entra a mocinha, Gaby Teller. Acontece que o tio dela é envolvido nessa tal organização, e Napoleon vai atrás dela porque quer desvendar o mistério. Então o trio (Gaby, Napoleon e Illya) vão para a determinada cidade onde o tio dela mora, para tentar descobrir onde ficam as tais armas.


   A série é baseada no seriado The Man From U.N.C.L.E., que foi exibido em 1960 e estrelado por George Clooney. Da série eu não posso falar muito porque nunca nem ouvi falar, mas o filme eu recomendo (E MUITO!) para quem quer uma boa comédia misturada com ação e romance. 
   O que mais me chamou atenção foi a relação entre Napoleon e Illya, e os atos deles ao fim do filme, que claro não citarei aqui. Mas os dois vivem em plena guerra, e por mais que convivam juntos depois da designada missão, nunca passam a se gostar realmente. 


   Já podem chorar com esse cartaz, meu Deus do céu! Ah, e além de tudo os vilões são muito bem construídos, com um ar de sarcasmo no ar toda vida que entram em cena. E é claro, a inteligência que só filmes envolvendo agentes secretos tem. Eles inferem coisas incríveis que ninguém nunca pensaria em inferir. E claro, a "grande" tecnologia de 1960 com aqueles telefones que são meu sonho atualmente. 


   E o post de hoje acaba por aqui, espero que tenham gostado galera! Até mais, um beijo! 





 

Nenhum comentário:

Postar um comentário