sábado, 2 de julho de 2016

Resenha: A seleção


   Oláá meus amores, tudo certo por aqui? Mais um final de semana começando e olha só o que eu trouxe aqui... Uma resenha! Para começar o final de semana bem e com uma leitura divina (de chorar!), eu trouxe pra vocês um dos meus livros favoritos, o início de uma história linda e que apesar de ter sido lançado há muito tempo, muitas pessoas ainda não leram. Bora lá?


    ENREDO: O livro conta a história de America Singer, uma garota com garra (e linda) que vive em Illéa, um reino com a sociedade dividida em castas. Basicamente, quem tinha mais dinheiro e cargos importantes vinha primeiro, Um, Dois, e quem tinha empregos inferiores e pouco dinheiro recebia castas mais baixas.
    America é uma musicista da casta Cinco, uma menina que, ao acaso, foi escolhida para participar da Seleção, onde o príncipe Maxon (o mais cobiçado e herdeiro do trono) vai escolher sua noiva. São 35 garotas, da segunda até a quinta casta, que vão lutar pelo coração do príncipe.

    DIAGRAMAÇÃO: Gostei muito da diagramação do livro, as páginas são gostosas, a letra em tamanho ideal. Erros de grafia são muito poucos, quase imperceptíveis, e a cada capítulo inicia com a coroa que é a marca registrada da série.


    CAPA: Particularmente, é minha capa favorita. Muitas pessoas atualmente estão gostando desse tom de verde água que tem no vestido da America, e comigo não é diferente. Dá a impressão de que o leitor sente a textura do tecido do vestido, e sem contar que a coroa característica é a coisa mais linda.
    Na minha (humilde) opinião, a capa consegue demonstrar o mistério do coração da America nessa primeira fase da Seleção, os segredos que nem mesmo o leitor consegue desvendar.



    CONSIDERAÇÕES: Começo minhas considerações parabenizando a Kiera por um livro tão incrível. Minha maior preocupação antes de chegar no final era como ela iria conciliar tantos personagens com personalidades diferentes em um só espaço. Mas, para minha surpresa, a história de cada personagens se encaixou perfeitamente, sua personalidade com seus atos, e foi uma das coisas que mais admirei na escrita do livro.
    Levando em conta o começo até o meio do livro, foi meio difícil não ficar com raiva da America pelo que ela sentia (ou achava sentir). Não é uma personagem que libera os sentimentos logo de cara, antes ela mesmo se descobre até deixar o leitor se acomodar, e então ela muda totalmente. É um incrível vai e vem que me prendeu desde a sinopse até a última linha.
    Não achei que a Kiera foi tão descritiva, assim como eu esperava. Porém deu para ter uma ideia dos vestidos e do palácio esvoaçante. Senti falta da descrição das cidades, da vida fora do palácio, achei que ela poderia ter investido um pouco mais nisso.



    Então galera, a resenha chegou ao fim. Adotei essa nova forma de resenha por achar que ficou mais prático de organizar os pensamentos e dizer como é e o que achei do livro pra vocês. Qualquer dúvida ou coisas a acrescentar deixe aqui em baixo nos comentários!!


Nenhum comentário:

Postar um comentário